Ante as desilusões da vida

Uma das coisas que a vida traz de prazeiroso é a capacidade que temos de mudar de estilo: um modelo de cabelo, a roupa, os ares, o rosto, o corpo, o marido, a esposa, a preferencia política, a profissão, a cidade. Sempre em busca do melhor, ou daquilo que consideramos que vai nos trazer felicidade.

Com a experiencia verificamos que raramente tais mudanças são efetivas. Uma vez eu li que 'muda-se o palco, mas não a vida' em tais circunstancias, e que a mudança tem que vir de dentro. Emtretanto isto não se aprende em livros e raramente com alguma intervenção  de fora. O mesmo autor escreveu 1feliz do terapeuta que encontrar um paciente preparado para se assumir'. Neste caso o milagre é do próprio paciente, ajudado é claro pela pessoa do terapeuta. Devagarzinho fui aprendendo que milagre não existe, se não se confronta o medo de espiar na alma.

A homeopatia tem um principio parecido: 'o semelhante cura o semelhante'. Na Bíblia, na história de Moisés houve uma praga de serpentes. Para curar as pessoas, Móisés foi intuído : 'coloque uma serpente no bastão e mostre a quem foi picado'.

Continuando minha palestra, existem momentos em que nos confrontamos com o passado. Aqui e ali, poderia ter sido melhor? Que lembranças são boas? E choramos... muito. Ficamos tristes, com raiva, projetamos os sentimentos nos que partilharam a vida. Não é fácil.

Podemos tomar uma cerveja ou várias, festejar, dançar, e o fazemos. Entretanto chegam os dias de fogo, em que nossa alma quer uma aragem de esperança.

Num destes dias, veio as minhas mãos o texto abaixo.

Gostei e envio para seus dias de melancolia, com carinho.

 

EVITANDO OBSESSÕES

André Luiz

Não deixe de sonhar, mas enfrente as suas realidades no cotidiano.

Reduza suas queixas ao mínimo, quando não possa dominá-las de todo.
Fale tranqüilizando a quem ouve.
Deixe que os outros vivam a existência deles, tanto quanto você deseja viver a existência que Deus lhe deu.
Não descreia do poder do trabalho.
Nunca admita que o bem possa ser praticado sem dificuldade.
Cultive a perseverança, na direção do melhor, jamais a teimosia em pontos de vista.


Aceite suas desilusões com realismo, extraindo delas o valor da experiência, sem perder tempo com lamentações improdutivas.
Convença-se de que você somente solucionará os seus problemas se não fugir deles.
*

Recorde que decepções, embaraços, desenganos e provações são marcos no caminho de todos e que, por isso mesmo, para evitar o próprio enfaixamento na obsessão o que importa não é o sofrimento que nos visite e sim a nossa reação pessoal diante dele.


(Do livro "Paz e Renovação", pelo Espírito André Luiz, Francisco C. Xavier)

* grifo meu

Preparo para os desencarnes

MENSAGEM de ASHTAR SHERAN ( em 05-01-2010 - psicografada por Rosane Amantéa )

Venho em nome da ordem e da paz neste ciclo mais evidente que desponta no planeta:  o ciclo da varredura planetária, da separação do joio e do trigo e do encaminhamento das almas para seus respectivos andares evolutivos.

Sem sombra de dúvida é importante que todos os seres humanos estejam atentos a uma insofismável realidade:   os tempos são chegados e muito estão mudados os sintomas físicos e mentais de maioria dos seres.

Canalizadores e "médiuns-colunas", ou os de sustentação energética, de várias correntes espiritualistas, do mundo todo, sentem sobre os ombros os fardos de energias deletérias que estão sendo dissolvidas pelas equipes de resgate de nossas naves.  Participam ativamente, nas madrugadas, com seus veículos espirituais, de expedições de auxílio aos grupos que desencarnam diuturnamente em vosso planeta.    Integram nossas hostes de serviço do Amor Incondicional aos nossos irmãos cósmicos em corpo físico no planeta Terra.

No entanto, ainda mais sofridos encontram-se os vitimados pelas tragédias de cada dia, nestes tempos implacáveis da transição planetária.    Os últimos acontecimentos ocorridos em várias cidades do Brasil e de outros países, com relação às mudanças climáticas e suas consequencias no movimento dos fenômenos da natureza, tem deixado, no plano astral, centenas de seres em condições lastimáves de sofrimento espiritual.    Estes seres, em grande parte, principalmente aqueles que tem esta condição e merecimento, tem sido conduzidos até os postos de socorro espiritual na dimensão extrafísica, de divisões especiais do Comando Ashtar, hospitais especializados em restauração de corpos astrais, de centros espíritas, esotéricos e de qualquer agregação religiosa espiritualista, onde existam fatores reais de disposição para a ajuda espiritual às criaturas encarnadas e às almas já libertas do invólucro carnal.
Nem porque existam nossas naves de resgate, sob o comando crístico, orbitando em torno do planeta, para o socorro à humanidade, na difícil fase de transição que a Terra está enfrentando, deixa de acontecer a lei de ação e reação para os seres que tiveram suas vidas ceifadas, no plano físico, de forma abrupta, tal qual as dos últimos acontecimentos trágicos mostrados a cada dia pelos vossos noticiários.

Um dispositivo importante das equipes de socorro do plano espiritual é a utilização do ectoplasma de médiuns e criaturas que tenham a condição de doação aos seres que desencarnam em situações de grande desespero, tais quais os soterramentos, explosões, incêndios e afogamentos, além dos acidentes de toda ordem em estradas e nos âmbitos de serviços vários onde existam riscos permanentes .

Houve nesta madrugada um ordenamento de falanges mais adestradas em desativação dos núcleos de força (chackras) dos seres humanos, para haver um correspondente de auxílio espiritual mais efetivo às criaturas em vias de desencarne, que doravante serão em número crescente, dadas as condições climáticas em alteração visível de seu ritmo planetário anterior, como resposta e demonstração da inviolabilidade da lei de retorno aos excessos de toda ordem cometidos pelo terráqueos durante os milênios planetários.

As catástrofes coletivas demandam dos núcleos de socorro espiritual as mais recentes tecnologias desenvolvidas pelos especialistas em disecção de "nós" de milhares de fios energéticos que prendem o corpo fisico ao corpo espiritual.    Muito já se estudou nos círculos espíritas acerca dos desenlaces de invólucro físico.    No entanto, urge salientarmos neste novo ciclo da Terra, que há que se preparar mais as criaturas humanas para os seus momentos de desligamento da matéria.    A falta de conhecimento sobre as leis espirituais atrasa, em muito, a eficiência das equipes de socorro, que necessitam ainda esclarecer as almas sobre sua nova condição e lidarem com circunstancias de desespero, medo, pavor , ignorancia e incredulidade.

Não bastando a atuação insalubre do séquito de inimigos astrais em regime de simbiose espiritual agregados aos corpos astrais dos seres mais comprometidos com a lei divina, há ainda a lei do magnetismo imperando na religação de desencarnados ao parentes encarnados que ficaram, invocando as suas presenças, e atraindo-os para uma perpetuação dolorosa de sua condição interregna.

Fazemos um apelo a todos os irmãos esclarecidos das lides espiritualistas que, antes de estarem cônscios apenas da intervenção de nossas frotas no novo ordenamento cíclico da Terra, façam a sua parte na conscientização de populações totalmente desavisadas sobre a imortalidade da alma, sobre a vida astral com sensações humanas após o desencarne e da preponderância do fator  "conhecimento das leis espirituais"  e  "merecimento"  na sintomática do pós- desenlace físico, para haver maior serenidade, autocontrole, paciência e fé nos momentos da grande travessia.

Toda a população da Terra deveria estar preparada para os momentos difíceis que o planeta irá atravessar.    Já está havendo provas de toda estas situações trágicas que centenas de criaturas irão enfrentar há muito tempo.    Mortes coletivas já são cotidianas desde os albores do planeta e são vivenciadas em várias partes do orbe terreno, por inúmeros fatores e mecanismos naturais e de interferência humana.    Mas este momento é singular na história da Terra, ainda que semelhante aos ocorridos da Atlantida.
Temos um itinerário exaustivamene estudado pelas nossas equipes de resgate com relação à materialização astral de centenas de postos de socorro nas regiões que estarão sendo afetadas mais brevemente pelas intempéries.    Caravanas de enfermeiros espirituais trabalham incansavelmente sob a égide de Kuan Yin e de Mestra Nada.    Sob os auspícios de Maria de Nazaré e de Jesus, falanges de seres arcanjélicos diluem as torrentes escuras das impregnações energéticas na estratosfera do planeta, durante todo o tempo de esvaziamento dos recônditos terrenos onde ocorrem as catástrofes e mortes coletivas no planeta.

Urge ampliar-se o acervo de informações e de instruções a serem dadas pelos educadores espiritistas e esotéricos, no que tange ao preparo substancial dos seres para a consciência dos sintomas enfrentados no pós desenlace do invólucro físico.    Há que lembrá-los da correspondência entre as condições morais e espirituais que tenham adquirido em suas experiências carnais e o estado de seus corpos astrais e de suas sensações no pós desencarne.    Muitos acontecimentos estarão sendo enfrentados daqui para a frente durante todo o período de adaptação do planeta ao seu novo eixo de rotação e à sua nova vibração galáctica.


Toda a engrenagem de viabilização do ciclo de provações, expiações e dores deste orbe-escola, através da interferência dos submundos umbralinos , na vida dos terráqueos, tem sido destruída pelas equipes de desinfecção astral da Terra, um dos departamentos de atuação de nossas frotas.

Neste setor laboram exaustivamente os trabalhadores especiais da umbanda, seres de luz intensa vindos de Aruanda, ou seja, reinos de luz de universos transdimensionais, a pedido de Sanat Kumara e de Saint Germain, além dos comandantes dos portões dos labirintos abissais da Terra, frequentemente confundidos com seres trevosos, sendo, no entanto, os guardiães mais capacitados para enfrentarem a vibração densa do interior astral do planeta.    São estes preparados adredemente em estações intergalácticas ou departamentos cósmicos de "Recursos Supra-Ordinários", para o exercício de suas funções de confronto com o reino do AntiCristo.
São estes especialíssimos seres os generais responsáveis pelo encaminhamento de almas para turbilhões de descida vibratória 666.    São os Esséias, estes preparadíssimos seres, termo que se degenerou para Exus, que, de qualquer forma, representam os oficiais da justiça divina.


No que tange ao nosso papel de comandante destas naves criadas através do amor de Sananda, para o resgate também dos seres em condições de estagiar em dimensões de frequencia superior, deixamos aqui registrado o nosso apelo aos canais de comunicação espiritual, que tracem um roteiro de explicações de alcance de massas, quanto às preparações que devem ter para atravessarem possíveis momentos de calamidades previstas para uma grande parte da população terráquea, não no afã de se salvarem ou sobreviverem, mas no sentido de conhecerem uma nova forma de se viver, no plano do espírito, em que suas condições de raciocício, lucidez e preparo moral e espiritual darão contornos mais tranquilos ao cenário de suas novas vidas nestes outros planos dimensionais.

Não vamos aqui novamente expor princípios já consagrados e do conhecimento humano, tal qual o legado de Kardec, de Cristo e dos prepostos da era de Aquário já delineados por Saint Germain, além de tantos outros mensageiros mais que já vieram preparar os homens para as transformações necessárias à sua evolução.     Mas, traduzir a nossa preocupação a respeito de uma necessária agilização do processo de despertamento espiritual, para evitarem-se momentos ou milênios de mais sofrimento por parte desta população terráquea, que já vem atravessando portais de migrações e esquemas planetários há éons, e que passam, a partir de agora, a poder optar pelos seus novos rumos cósmicos, por terem já obtido a condição de semearem flores ou ervas daninhas, nos trilhos de suas jornadas evolutivas.
Com nosso augúrio por vislumbrarmos uma nova Terra surgindo e novos seres cristal apontando no horizonte do planeta, encaramos estes momentos de caos planetário como uma intervenção da lei divina a favor de sua criação, a alma imortal.

E, com a nossa flâmula do Amor Incondicional voltada para o socorro a todos vós, amados da Terra, deixamos aqui o nosso convite a este prepaara qeue"Desencarne" tro a que nos referimos, penha o seu sentido real de "mudança frequencial" de moléculas e da inteligência, com a mesma identidade espiritual em sua expansão de consciência cósmica, e que não represente, apenas, o momento de indizível "dor" em vossa situação de jungidos a um corpo físico planetário, que é o referencial que a grande maioria de vós tem nestes âmbitos tacanhos de interpretação das leis imutáveis da evolução.

Estamos em auxílio à Terra !! Confiai na Suprema Perfeição dos desígnios de nosso Pai e mantende a paz interior nos momentos da "passagem", pois sempre haverá quem os esteja aguardando e os aquecendo na chama divina do Amor Universal !!

Com minhas saudações de imenso respeito aos meus irmãos da Terra, A.S.

(Ashtar Sheran, comandante de uma equipe de extraterrestres cuja missão é de proteger o nosso planeta. Seu contingente está forte e solidamente baseado em algum lugar ao alcance da Terra, que eles chamam de planeta SHAN).  

Acerca da evolução espiritual com comentários


Por que nossa evolução tem de ser feita no Astral inferior e não no Plano Astral superior?

Dr. Mauro Kwitko 



Viemos do Plano Astral Superior para um Plano mais denso e imperfeito (Astral Inferior), para que, na interação com as dificuldades inerentes a este nível evolutivo, as nossas imperfeições venham à tona e tenhamos então a possibilidade de lidar com elas, visando a sua melhoria ou eliminação. Isso não pode ocorrer quando estamos desencarnados no Astral superior, pela elevada consciência vigente lá que faz com que não existam os testes e as provas comuns aqui. Lá em cima, pela elevada freqüência vibratória do local, são ativados nossos chakras superiores e manifestamos nossas superioridades; aqui, pela baixa freqüência vigente, ativam-se nossos chakras inferiores e manifestam-se nossas inferioridades; por isso voltamos para cá: para encontrarmos nossas inferioridades, que lá ocultam-se. Mas quando as encontramos, culpamos os pais, a família, a vida, os outros, a sociedade...

Viemos buscar os resgates e harmonizações com antigos companheiros de viagem, que geralmente vêm na nossa família, ou vamos encontrando durante a vida. Mas para alcançarmos isso, precisamos primeiramente irmos curando nossas inferioridades: orgulho, vaidade, mágoa, raiva, ressentimento, etc.

Essas noções e tantas outras a respeito da Reencarnação, que têm permanecido limitadas apenas ao campo da religião, principalmente na religião Espírita, precisam agora ser incorporadas pela Psicologia e pela Psiquiatria, a fim de serem melhor entendidos os nossos problemas e conflitos. Também a Medicina, e isso já está ocorrendo, irá entender que não somos apenas esse corpo físico visível, e sim temos outros corpos, sutis, onde iniciam-se verdadeiramente as doenças. A Psiquiatria, um dia, quando entrar no campo do invisível, entenderá o que são essas vozes "imaginárias", o que são as "alucinações", etc., e descobrirá que o que chama de "paranóia", "esquizofrenia", "transtorno bipolar", etc., comumente são emersões de nossas personalidades de outras vidas, geralmente acompanhadas de outras personalidades, intrusas, os chamados obsessores.

Está chegando um novo Milênio e, com ele, uma nova Psicologia, uma nova Medicina e uma nova Psiquiatria. E os médicos, os psicólogos, os psiquiatras e os psicoterapeutas em geral, que acreditam nos princípios reencarnacionistas, não podem mais lidar apenas com o nosso corpo visível e as doenças físicas, e com essa passagem terrestre, chamando-se, equivocadamente, de "a vida". É preciso coerência; quem acredita em Reencarnação deve vivenciá-la no seu dia-a-dia e não apenas quando está em seu Centro Espírita ou lendo seus livros em casa. Assim caminha a Humanidade, a passos lentos, mas sempre adiante. Então, vamos em frente!

Reencarnamos para tentarmos melhorar uma tendência de manifestarmos pensamentos e sentimentos ainda inferiores (Personalidade Congênita), passando por situações que os fazem aflorar e transparecer (gatilhos), com o objetivo evolutivo de os enfrentarmos e vencermos (a Missão). Então, aqui estamos, novamente, e repetidas vezes, para encontrarmos nossas características negativas e modificá-las positivamente. Estamos propondo que, em vez de nos vitimizarmos e criarmos toda uma problemática psicopatogênica em relação à infância, baseada na mágoa, na tristeza, na rejeição, na raiva, etc., passemos a encarar de modo diferente essas situações e até, quem sabe, agradeçamos ao nosso destino por tê-las colocado em nosso caminho, pois assim saberemos o que viemos curar em nós (a Reforma Íntima). Por que alguém precisou vir filho daquela mãe? O que houve entre eles em encarnações passadas? O filho pode ter sido seu marido, seu patrão, seu carrasco... Deus nunca erra o alvo.

Reencarnamos para encontrar nossas imperfeições, mas quando as encontramos por vezes não gostamos das pessoas e/ou situações que as fazem aflorar. E aí sentimos raiva ou mágoa daquela pessoa, mas, na verdade, nós estamos exteriorizando nossa raiva e mágoa congênitas, que nasceram conosco, o que é diferente de pensar que a raiva e a mágoa surgiram na infância. Exemplificando: uma pessoa refere um forte sentimento de rejeição e mágoa por ter-se sentido abandonada e não-querida durante a infância. Acredita que a causa disso foi o fato de seu pai não ter assumido a paternidade e abandonado a família. Ela revela, desde criança, uma postura perante a vida calçada nesses sentimentos e durante sua vida freqüentemente sente-se triste, magoada, e com a sensação e o medo de ser rejeitada. No entanto, inúmeras outras pessoas, que quando crianças passaram por situações semelhantes, não referem esses pensamentos e sentimentos ou, pelo menos, não em nível tão profundo. Por quê? Claro que fatores atenuantes como atenções e orientações dos demais familiares, atendimento psicológico precoce, etc., ajudam a que isso não ocorra de modo grave. Mas a explicação para o fato daquela pessoa ter demonstrado enormes sentimentos de abandono e rejeição, ou seja, ter sentido aquela situação de um modo tão intenso e outras pessoas que passaram por situação semelhante não terem sentido tanto assim, é que ela já trazia essa tendência consigo, a tendência de sentir desse modo, de situações semelhantes vivenciadas em encarnações anteriores, o que nessa encarnação sofreu mais um reforço, pela atitude paterna.

E por que sua Alma necessitou passar por essa situação nessa encarnação? Muitas vezes, nós temos contato com nossos futuros pais antes mesmo de iniciarmos nossa materialização intra-uterina, e então podemos conversar com essa pessoa sobre isso nas conversas de Psicoterapia Reencarnacionista. Por que ela, que traz abandono e rejeição para curar, oriundas de encarnações passadas, necessita passar por uma nova vivência encarnatória semelhante? Se lembrarmos que descemos do Astral Superior para encontrarmos nossas inferioridades, ela pode ter necessitado dessa experiência para que esses antigos sentimentos aflorassem e pudesse então entrar em contato com eles, possibilitando-se trabalhá-los e curá-los. Se alguém traz mágoa e sensação de abandono para curar em seu Espírito, necessitará de pessoas ou situações que façam isso aflorar. E a Lei do Retorno? Quem sabe ela abandonou esse Espírito que é seu pai atualmente em alguma vida passada, e então ela não é uma vitima e, sim, coadjuvante de todo esse processo? Nas regressões algumas vezes o abandonado e rejeitado hoje e em vidas passadas vê-se como um abandonador e rejeitador em vidas ainda mais passadas...


Nossa Alma colabora na criação de nossas experiências terrenas por uma necessidade de crescimento, que implica em eliminar esses seculares ou milenares sentimentos e pensamentos negativos, ou seja, reencarnamos para isso, para essa "limpeza", e então devemos fazê-la, e não manter, ou até agravar esses sentimentos. Isso é o que significa dizermos que nós pedimos isso... Não fomos nós, nossos Egos, foi nossa Alma, em conjunto com a Grande Alma (Deus). Mas se acharmos que tudo começou na infância, que somos uma vítima, que nosso pai -ou nossa mãe- é o vilão, vamos passar anos e anos em terapia falando sobre isso, até que um dia nosso corpo físico morre, subimos para o Astral Superior, encontramos nosso Mentor Espiritual, que senta conosco em um banco naquele lindo jardim, abre um telão e nos diz: vamos examinar algumas de suas vidas passadas?

 

Não penso que seja tudo tãocartesiano assim.

tragicomedia3.wordpress.com/2007/08/27/atlantida/

Estive em uma reunião da Apometria, muito interessante. Havia umas vinte pessoas, e numa terça a tarde, é difícil encontrar tantas pessoas. O que significa que muita gente gosta e aprende com as reuniões. Como foi no dia apresentada a história de Saint Germain, o líder do 7° raio da Grande Fraternidade Branca, falou-se sobre a Atlantida.
A partir daí voltei as minhas ideações sobre a Atlântida, provável lenda, pela qual me apaixonei na infancia. Uma outra incursão no desconhecido, o qual sempre me fascinou. Acredita-se que existiu esta ilha até 15.000 anos atrás, pelo nosso calendário, quando então sobreveio uma catástrofe que a fez submergir. Muitos estudiosos pesquisam sua localização neste planeta, com fortes indícios de ter-se localizado na fileira das Ilhas que costeiam a África Ocidental, como Açores, Cabo Verde, etc. Há muitas teorias ligadas a sua existencia, de historiadores, místicos e religiosos.
Li há mais de 10 anos um lindo romance: 'Ankor, o discípulo'. O escritor descreve o fim da Atlantida, e a passagem dos segredos aos egípcios, muito interessante. Na estória Ankor é o responsável por fugir da Atlântida com todos os manuscritos, para entregá-los a mestres egípcios.
A técnica dos aquedutos, tão utilizada pelos povos antigos, permanece até hoje. Vimos seus relatos na Babilonia, no império alexandrino... Nos gregos há menção nominal a o Jardim das Espérides, um dos ultimos trabalhos de Hércules. Algumas pessoas acreditavam que o Jardim das Espérides seria a Atlantida, pela forma como foi descrita esta terra. Muita luz, árvores, água, desenvolvimento sustentável. Pelo menos Monteiro Lobato assim o descreveu em 'Os 12 Trabalhos de Hércules'.

A informação científica que tenho é a seguinte:

'Os únicos relatos sobre as primeiras religiões são posteriores à invenção da escrita, fenômeno ocorrido há pouco mais de 5 mil anos. "Os registros mais antigos de mitos religiosos foram deixados pelos
egípcios e pelos sumérios", afirma a historiadora Eliane Moura Silva, da Universidade Estadual de Campinas, em São Paulo. Desde então, começaram a surgir religiões mais organizadas, estruturadas a partir de um conjunto de princípios, como o Hinduísmo, que teve seus primeiros textos sagrados, os Vedas, escritos há cerca de 3.500 anos, e o Zoroastrismo, fundado no Irã por volta do século 6 a.C. Em seguida, vem o Budismo, que surgiu mais ou menos na mesma época.' (ver abaixo).

No livro psicografado ''Caminho da Luz', Emmanuel escreve sobre o início da terra, seguindo a linha do planeta de Castela. Neste livro temos a mesma informação da ciência, sobre os primeiros povos.
Ando tentada a pensar que a Atlantida é uma memória do inconsciente coletivo, e para os espíritas pode ter se localizado no planeta de Capela. Os egípcios vieram após os sumérios, podem eles ter trazido já a sabedoria dos atlantes.

Citações:
http://www.guia.heu.nom.br/religiao_egipciana.htm#hinduismo, onde há a citação de: Revista das Religiões - Ano 1 - N° 1 - Maio / 2003 em SUPER INTERESSANTE) PÁG. 6
A Caminho da Luz: link - http://novapsique.zip.net/novapsique/

A busca silenciosa da Fé

O que me chamou a atenção neste artigo que linkei foi a busca de um ser humano por respostas que não encontrou nas religiões comuns. E o fato de ter colocado um pensamento que eu nunca soube como exprimir, e que senti no kardecismo - um fechamento a experiências de sentido e um certo fundamentalismo. O autor coloca de uma forma sincera sua experiência no catolicismo, kardecismo, umbanda. Mas é claro são experiências pessoais.

Este relato é fundamental para o desenvolvimento de uma fé raciocinada. Clique, depois volte.

Encontrei o mesmo fundamentalismo na Grande Fraternidade Branca. Costumo utilizar ensinamentos que são coerentes com o que penso, e eu penso bastante. No atendimento a si mesmo e outras pessoas, é fundamental não estar preso a nenhuma religião, mas conhecer o mais possível de seus fundamentos, sem se escravizar. O homem é livre. 'Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará'.

Como conheci Deus pequenina, acostumei-me a sua imagem de pessoa idosa, Homem, Grande, Bom,Protetor e Amoroso. As vezes Temível! Nascida de famílias católica e batista, sempre tive a intuição de que a única verdade é Deus. Como cientista vejo a harmonia como desejo de Deus. Não importa se falo com meu Velhinho de barbas brancas, ou com a natureza. Eu O sinto na vida. A crença em Jesus achegou-se forte também, então gosto d'Ele, meu Mestre, o Filho de Deus.

Conheci a espiritualidade já com 4 anos, já quis me converter ao Judaísmo (mas aí Jesus seria um Mestre e não quis). Tenho todos os sacramentos católicos, espíritas, conheço e pratico a Palavra, e assim me sinto bem. O fato de raciocinar sobre tudo me dá a abertura para compreender as verdades de outras religiões, as orientais e Kahuna ( havaiana).

O que não aceito para mim é o fundamentalismo, que forma castas e burocracia.

Não sei o que é Litáurica, mas também a conhecerei.

Imagem: Pintura de Fathi Hassan

ARTIGO LINKDADO:  Como cheguei até a Litáurica (Rafael Miceli)

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Música, Viagens, filmes
Yahoo Messenger -
    Visitante número: